Lucivalter Almeida dos Santos
Nazaré / BA

 

Anseios...

 


Anseios...  Fazem parte de mim.
Motiva o meu viver;
Mim permite enxergar mais longe;
A lutar por ideais;
Caminhar muitas “milhas...”
Sem perceber!
Anseios... Mim consome por dentro.
Pois cada desejo é intenso;
E não pode morrer.
Tem que está sempre acreditando,
Que tudo é possível,
Àquele que crê!
Anseios... Dá sentido à vida;
Pra não deixar que a lida,
Perca o seu prazer.
Por isso, sigo confiante;
Pra que lá adiante,
Faça por merecer!
Anseios... É como alimento:
Nutre por dentro,
E faz fortalecer.
A sede de conquistar os sonhos,
Que tornando realidade,
É bonito de se ver!
Anseio e anseios...
É assim o nosso viver.
A cada nova aspiração,
Desaparece a monotonia;
E somos revigorados,
A cada novo amanhecer!

 

 

 

 

 

 
 
Poema publicado no livro "4º Anuário da Nova Poesia Brasileira" - Maio de 2018