Rute de Albuquerque Lima
Rio de Janeiro / RJ

 

 

Lembrança das flores

 

Lembro-me das flores;
As onze horas bem vermelhas,
Abrindo-se ao nascer do sol,
Dizendo para todos: Bom dia!
E a grama verde
Como um tapete de esperança, respondendo: Dia!
É um paraíso, paraíso perfumado de flores.
Flores como as orquídeas...tão frágeis,
Que fazem do seu viço,
Um grande compromisso,
Ficar um pouco mais.
As rosas brancas...exalando um forte cheiro,
Acalmando o mundo inteiro, Acalentando a alma e dizendo: Paz.
E o grande romanzeiro... doando suas lindas flores,
Tão singelas, se abrindo em um sorriso,
Insinuando a fertilidade da vida...
É um paraíso, paraíso perfumado de flores.
Flores vermelhas, amarelas, Brancas, rosas, azuis...
É preciso lembrar das flores,
De cada uma delas;
Pétalas por pétalas, mal me quer... bem me quer...
Esse perfume das flores,
ninguém esquece, não desaparece.
É aderente,  inconsequente e gruda na alma da gente

 

 

 

 
 
Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros - vol. 159 - Abril de 2018