Lucia Celeste Vasconcelos Barbetta
Rio de Janeiro / RJ

 

 

Vida corrida

 

 

A chuva chega fininha,
O sol aparece ligeiro,
A nuvem cinza retorna,
É um mau tempo passageiro.

A vida vai como o tempo:
Esquenta, esfria, garoa.
O sol volta iluminando,
Brilhante! Que vida boa!

A corrida é diária.
No trabalho, em casa, na feira.
Sempre milhões de tarefas.
Realizadas com ânimo, e na carreira.

O dia a dia de trabalho,
Mesmo com pouco dinheiro,
Levamos com alegria,
Com um sorriso matreiro.

Cheios de entusiasmo!
Sou feliz, sou brasileiro!

 

 

 

 

 

 

 
 
Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros - vol. 167 - Janeiro de 2019