André Luiz de Oliveira Pinheiro
Rio de Janeiro / RJ

 

 

Versos sujos

 

Vi ontem um bicho...
...Catando comida entre os detritos...
...Engolia com voracidade....
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem!

Manuel Bandeira : O Bicho

***

Eu retirei meus versos de um lixo
Após perplexo, lendo-os no amplexo
De comiseração ao ver sem nexo
Ali entre os detritos como um bicho...

E vendo-os se moverem num rabisco
De vida sem sentido no seu plexo
Indiferentes páginas sem sexo
De animais grotescos sem aprisco...

Eu fui levado àquela imagem forte
Num pensamento quase vendo a morte
Como extinção total, definitiva...

Mas sei, a vida guarda seus segredos...
E nesses versos sujos em meus dedos
Eu volto a minha vida primitiva...

 

 

 

 
 
Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros - vol. 167 - Janeiro de 2019