Alberto Magno Ribeiro Montes
Belo Horizonte / MG

 

 

Dias de ira

 

Ira…Irã…Iraque…Há uma guerra lá fora
E a pomba branca da paz, para longe já voou
E não quer mais voltar, pois se cansou
Da estupidez dos humanos, que só prometem
E nunca lhe dão uma chance.“Imagine” – ainda!

Meteorologistas, em visões apocalípticas
Já previram: -É tempo bom para as ofensivas
-Tempo ruim para a paz.

Às portas do terceiro milênio
Terceira Guerra…Última Guerra.
Os que prometeram o céu aos homens-bomba
Jamais se deixaram explodir.

E o grito insistente, intermitente
Ecoa pelos ares, pelos lares, pelas consciências:
Guerra…Guerra…Guerra…
Entre o Bem e o Mal. Entre o mau e o mau.
E o mundo, estupefato, assiste a tudo pela TV.

Querem desarmar Saddam
E os EUA, quem irá desarmar?
Guerra…Guerra…Guerra…
Quem vencerá desta vez?
Desta vez o mundo todo perderá
Pois estão todos pra lá de Bagdá.

 

 

 

 

 

 
 
Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros - vol. 182 - Abril de 2020