Neiva Teresinha Paludo Chemin
Pato Branco / PR

 

Amor ardente

 

 

Sol... Sol... Brilho intenso aquecendo e dando vida ao planeta Terra.
Céu azul, brisa que sopra num lânguido sentido... acariciando as singelas e miúdas florezinhas e trevos silvestres.
Um carreiro no meio da mata vai ao encontro de um casebre coberto de folhas e palmeiras. No seu interior, um pequeno fogão feito de pedras e barro: uma chaleira a borbulhar.
O riacho de águas rasas e cristalinas, salpicado de pedrinhas. Calmaria... Cenário encantador.
Borboletas azuis, amarelas e todas as cores a bailar. Jane, aos quatorze anos se apaixonou por um mascate que passou na região vendendo algumas mercadorias: cortes de tecidos.
Lembra ela com imensa saudade, a paixão arrebatadora de uma noite de verão. Amou... amou...
E ele se foi...
Por algum motivo não voltou. Passaram-se dias e anos...
Lembranças de uma noite de verão cheia de sonhos...
Nostalgia...
Umas lembranças doces; outras, um pouco amargas... entrando no caminho da saudade. Umas, doces como o mel. Outras, amargas como fel.
Mas tudo passa: Jane ainda tem esperança.
O cantar dos pássaros, cigarras ensurdecedoras, tudo preenche um pouco o vazio de seu coração.
Amou... Ainda o ama.
O perfume das flores silvestres inebria este pequeno mundo no meio da mata.
Beija-flores sempre rondando as arvorezinhas em flor.
O tempo passou...
Numa noite de verão, escutou passos pelo carreiro coberto de folhas secas.
- Elias... é você?
- Meu amor... eu nunca te esqueci.
Mil carícias... sem fim.

 

 

 

 

 
 
Poema publicado no livro Os mais belos Contos de amor - Edição 2019 - Setembro de 2019