Rubens Alves Ferreira
Taguatinga / DF

 

 

Oportunamente

                

                

– Alô!?
– E aí rapaz! Como está? Tudo “beimmm”?
– Tudo bem! (?).
– Graças a Deus né?
– Tô meio cansado; estava fazendo exercício aqui enquanto vejo o jornal na TV. Pensei que fosse a chata da Operadora oferecendo planos. Daqui a pouco vou trabalhar; e está se preparado um chuvão danado.
– ah! Então tá bom! Sabe com quem tá falando? Adivinha aí.
(???) – É o Lucrécio?
– iiisso!
– ... ohhhh! e aí rapaz, como estão as coisas? Você está em Formosa, em Goiás?
 – Nãããoum, tô chegando “em” Formosa. Estou vindo de Luziânia. Rapaazzz, estou com um problema aqui e não sei o que fazer. Queria ver se você pode me ajudar?!
 – O que foi cara? O que aconteceu?
– Deu um problema no meu carro e o mecânico ainda não me entregou o veículo. E isso me pegou de surpresa, estou sem condição de acertar o serviço, no meio da estrada.
– Viiixi rapaz! E agora?
– Se você puder me ajudar!?
– Claaaro cara! É para fazer o quê? Uma transferência?
– Poh! Ia ajudar para caramba! Vou passar o telefone do mecânico de Alexânia: (61)000000001. Você liga para ele e qualquer coisa retorna nesse meu número que aparece no celular. Ainda por cima fiquei sem crédito.
– Beleza cara! É para fazer uma transferência, né? Vou ligar agora mesmo e ver com o mecânico.
– Isso. Qualquer coisa retorna. Eh rapazzz! Que coisa!!!
– Você tem visto o Juarez?
– Rapaz, faz tempo que não vejo o Juarez, nem converso com ele.
– Toh com uma saudade danada dele, faz tempo também que não “vejo ele”. Tá bom cara! Já vou fazer a transferência agora. Preocupa não. Já vai.  Falooouuuu!
– Obrigado rapaz! Depois a gente acerta.
– Preocupa com isso não. Tranquilo!
Desliguei o telefone e bloqueei o número para chamadas e mensagens. Título: 342/2.

 

 
 
Publicado no Livro "Contos de Arrepiar" - Edição 2019 - Maio de 2019