Hita Dutra
Barra da Estiva / BA

 

 

Sinfonia de acordes, harmonizando sentimentos

 

No Reino Sinfônico,  o Rei convocou a todos os seus súditos, para se apresentarem numa festa tocando algum instrumento,  e ao que com seus acordes alcançasse o seu coração,  teria direitos às riquezas do palácio. Foi lindo de ver toda aquela movimentação,  onde todos tinham a mesma missão,  em agradar o Rei alegrando o seu solitário coração. 

De cada canto se ouvia ao longe um som harmônico:

Tinha o som do "PIANO", tocado com tanta leveza, que era como se estivesse tocando as pétalas de uma linda rosa e exalando um suave perfume,  num dedilhar delicado.

Tinha o som da "FLAUTA PAN", com sopros tão precisos e determinantes se afixando aos ouvidos com acordes marcantes. 

Se ouvia a "BATERIA", que mesmo sendo tocada com muita euforia, era notória a sua perfeita harmonia. 

E o "VIOLONCELO", com seu som tão forte,  se ouvindo do Sul ao Norte, e era de inteira sorte, tê-lo para aquela apresentação,  sendo ele tão grande, mas sendo preciso pequenos detalhes para sua execução, se encaixar com perfeição numa bela canção. 

Tinha uma "GUITARRA", que solava algo tão incrível,  trazendo muita admiração,  à todos os privilegiados por tão linda audição.

Se ouvia o som do "VIOLÃO", com acordes cheios de dedilhados minunciosos, deixando a todos ansiosos, para sentir de perto toda aquela emoção. 

Tinha "CONTRABAIXO", "GAITA",
"SAX" e "HARPA",
Tinha "SANFONA", "PERCUSSÃO" e "CAMPANAS".
Tinha "VIOLA" e "PANDEIRO",
parecia algo surreal, mas era mesmo verdadeiro. 

Dentre todos eles, se ouvia o som do querido "VIOLINO"... Ah! mas esse eu sou suspeita de falar menino. Às vezes com tons graves, outras com tons tão agudos,  tocando no recôndito mais profundo do coração. 
Suas notas flutuavam leve e suavemente, causando um turbilhão de sentimentos bons, dentro de toda aquela gente. 

Quão contente ficou o Rei no dia da grande festa, decidiu que seria impossível outorgar direitos apenas à um, e determinou que fosse formada ali,  uma linda "ORQUESTRA", onde todos sabem respeitar extremamente o momento de cada um, uma exuberante sinfonia, um encontro de vários sons em perfeita harmonia. Onde pudessem tocar o que quisessem, poderia ser música romântica, sertaneja, clássica, erudita, religiosa, música pop e o rock.

Maravilhosa foi a festa. Muito feliz ficou aquele que antes era um Rei solitário, tornando a todos co-herdeiros daquela riqueza,  não sabendo eles que à partir daquele momento, mais rico o Rei se tornou, uma riqueza tão valiosa, que tirou a sua vida dos escombros da solidão,  acalentou a sua alma, fez ressurgir sorrisos,  acumulando impagáveis tesouros no coração.  

 

 

  

 

 

 
 
Poema publicado no livro "Contos Fantásticos" - Edição 2019- Outubro de 2019