Romilton Batista de Oliveira
Itabuna / BA

 

 

Pandemia e pandemoníacos

 

         

             

              Não quero falar somente de pandemia. A pandemia faz vítimas sem querer. Não é desejo dela, pois trata-se de um vírus plantado pela corroída humanidade que vem, há séculos, plantando maldades! Quero-lhes falar sobre pandemoníacos políticos que se espalham nesse momento de pandemia. A América do Norte, centrada nos Estados Unidos, presencia a dor de ver tantos americanos serem vitimados pela invisível doença mundial. Mas o pior de tudo não é isso! O pior de tudo está no comportamento neofascista e doentil de um presidente que não poupa esforços para repetir discursos carregados por uma voz ditatorial que no século passado vingou como maligna voz destruidora de almas pensantes! É triste ver nos jornais um negro ser morto por um policial branco que, representante e obediente à voz de seu governante, tira a vida de um inocente, de um inocente negro! Repito, negro! Negro! Negro! Negro! Negro! Negro! Negro! Niger!
              O fôlego do vivente é silenciado por um fogo devastador! Os jornais do mundo inteiro noticiaram tamanha atrocidade. A nova escravidão, o preconceito e o racismo continuam fazendo vítimas ainda! E quantos mais corpos negros teremos que ver caídos sob a terra que chora diante do corpo que ela não deseja receber!
              Respiro! Nunca necessitei de tanto ar para escrever! Meu cérebro necessita de uns instantes para degustar a amargura narrativa novamente sentida por meu pensamento e pelo crítico olho do leitor que nesse momento está a ler esta dolorida crônica! Dolorosa, mas precisa e sincera!
              Quem narra é um narrador que não desiste de escrever. Senti dor em cada palavra escrita porque seu desejo era de, um dia, não falar mais sobre esse assunto, acreditando que ele (o assunto) deixou de existir! Mas para que o pensamento de discriminação racial, sexual e social cesse é preciso que muito se escreva! E que haja muitos leitores que estejam dispostos a se libertar desse passado opressor e inimigo da sabedoria humana. O conhecimento real das coisas não suporta mais discursos alienados e opressores!
              Pandemoníaca vontade é essa dos que desejam continuar plantando a discórdia, a inveja e o ódio por meio dos vários recursos de comunicação disponíveis ao ser humano! Pandemônicos são pessoas que ao agirem não pensam ou não se colocam no lugar do outro! Falta-lhe degustar da leveza e da serena fonte do saber humano, a divina alteridade!
              Enquanto ficarmos de braços cruzados, eles pandemonizam a vida! Praticam exclusão, humilhação e destruição. É preciso deixarmos ser tocados por um sentimento de defesa contra essa malignidade que usa o poder em nome de seus endividados individualismos! O poder pandemônico espalha-se sobre o mundo, e no Brasil, nunca se viu o que cotidiana e repetidamente se expande por meio da prática de insanos pensamentos que são ditos por “burrontólogos” demonizantes seres inumanos, disfarçados em corpos humanos. Dotados de uma “burrologia neofascista”, eles defecam, por meio de apodrecidas palavras, discursos empedernidos e cruéis! Quando será que esse “gigante adormecido” se despertará, caro leitor?!
              Vivemos um tempo que fere o próprio tempo! Tempo de silêncio! Tempo de falta de correção! Tempo regido pela falta de gratidão! Tempo ferido em sua essência! Não nos esquecemos que as pessoas, no Brasil, cometeram um gravíssimo erro quando elegeram, por meio do “medo de”, alguém totalmente desprovido do amor à pátria, do amor ao seu povo, do respeito e obediência à Carta Magna! Alguém que não possui nome, e que, na esteira dos malfeitores, nada fez de bom até agora! Desde o dia que assumiu a presidência não pôs em prática nenhuma ação que venha legitimá-lo como representante da população que o elegeram e da parte que não o elegeram! Enfim, nada tem feito de proveitoso! Saúde e Educação são os setores mais prejudicados, ao lado da cultura e da segurança! E, agora, o mundo está de olhos bem abertos para o Brasil e o desastroso governo eleito por seu povo! Dia após dia, o que nos falta maios a nos acontecer! Até os dados estatísticos de infectados e de mortos pela covid-19 estão sendo manipulados pelo governo brasileiro para tentar driblar o olhar do mundo, e assim, proliferar dados falsos acerca da quantidade de brasileiros que estão sendo vítimas dessa doença e desse nefasto governo despreparado! 
              E pasmem! Diante de tantas atrocidades, ainda resta uma parte da população brasileira que torce pelo seu próprio inimigo, o “Boi”, em passeatas e carretas, levando bandeiras e faixas defendendo o fim do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional, convocando o AI-5 e a volta da ditadura! Isso é pandemoníaco por demais! Inacreditável e até mesmo aberrante ver ao lado do dito “Sem-Nome” um bando de despreparados (ou uma manada de furiosos animais adestrados pelo pensamento endemonialista, repudiado por qualquer outra nação desse planeta terra!) repetindo o mesmo discurso de seu “fuhrer”, uma espécie de “Hitler atormentado” que, provavelmente, terá o mesmo fim, pois toda ditadura está fadada ao fracasso! Disso, graças a Deus, temos convicção!
              Enquanto isso, os narradores dessa sangrenta história aguardam por um desfecho final, e ele virá, custe o que custar! Eles não sobreviverão ao Poder da Democracia! Por isso, cairão! A vontade do povo prevalecerá, mesmo que tenhamos que enfrentar o desmonte de históricas conquistas alcançadas por esse povo lutador, interpelada por várias culturas, vozes e esperanças no porvir! Volto a dar uma pausa nesse momento de pensar, meditar e cogitar. Não por meio do “Cogito, ergo sum”, mas do “Será que dá tempo para pensar, diante de tantas aberrações discursivas?”. Ouço uma voz dentro de mim que diz: Viva o povo verdadeiramente brasileiro! Deus Onipotente, liberte a América dos pandemoníacos “escravos do mal”, destinados a terem o mesmo fim daqueles que defendem a mentira, o fakenews dos tempos pós-modernos! Serão sepultados e, definitivamente, lembrados, não como “mitos” ou heróis, mas como homens inumanos que se aproximaram do fim que tiveram os malfeitores que impediram o justo caminhar da civilização humana!

 

 




Conto publicado no livro"Contos de um tempo sem fim" - Edição Especial - Setembro de 2020

Visitei a Antologia on line da CBJE e estou recomendando a você.
Anote camarabrasileira.com.br/contosdeumtemposemfim-008.html e recomende aos amigos