Cleide Leonice Cruz Oliveira
Capão Bonito / SP






Um mundo viralizado






        Muitas coisas aconteceram até chegarmos onde estamos. Vamos fazer um retrospecto até 2020, onde vivíamos um mundo de pobreza e abundância, onde empresas eram criadas para negociar com todos os países e as mesmas cresceram e acabaram sufocando o nosso planeta .
         Já não se viam estrelas nos céus, e as pessoas não andavam mais nos gramados e somente em escadas rolantes .
        Os desejos das pessoas eram realizados por cliques e os amigos eram virtuais, já estavam se extinguindo os abraços, as conversas nas salas e os encontros familiares .
        As selvas eram de pedras... e as crianças já não pulavam amarelinha, nem mesmo brincavam de stop, pois seus olhos eram quadrados por estarem 24 horas no celular e nos jogos virtuais . Cada uma delas com um aparelho na mão .
        Os adultos filtravam as imperfeições para postarem as fotos em sites de relacionamentos ou páginas virtuais de Redes Sociais, mas no final de tudo sentiam-se sozinhas, num vazio sem fim .
        Dirigíamos o dia inteiro em círculos e esquecemos como era correr  ou caminhar. Cimentamos os parques, encolhemos os gramados e os jardins. Enchemos os mares de plásticos, matamos animais e plantas ...
        Mas então,  em 2020, um novo virus apareceu para dar um basta em todo o mundo !
        Os governos reagiram e nos disseram para nos escondermos .
        Mas enquanto estávamos escondidos, tiramos o pó dos nossos instintos.
        Nos lembramos de como era sorrir, de como era ter um mar azul para nada, e de como nos faziam falta os abraços e os encontros casuais.
        Muitos batiam palmas sorrindo nas suas janelas ou fachadas para agradecer aos enfermeiros, médicos que estavam cuidando dos doentes pois foram milhões de doentes e muitas mortes e o sistema de saúde entrou em colapso   !
        As chaves dos carros acumularam poeiras, as pessoas  olhavam apenas por suas janelas e aguardavam ansiosas por suas corridas e caminhadas, pois enquanto confinados, lembraram-se delas .
        Com menos viajantes,  a Terra começou finalmente a respirar!
        As praias ficaram mais limpas e natureza agradecia ...
        As pessoas ainda trancadas em suas casas, algumas dançavam, outras voltaram a fazer velhas receitas de pães e os pais tiveram que ajudar os seus filhos nas tarefas on line, pois as escolas tiveram que se adaptar a nova realidade sem aulas presenciais . O giz estava no armário e a tecnologia finalmente a favor da educação, sonho de todo professor ...  Mas e o olhar do aluno ? Mais uma vez no celular, num tremendo faz de conta!  As  desigualdades sociais ainda mais ressaltadas.
 Estávamos tão acostumados com as más notícias, mas algumas boas estavam aparecendo.
E, assim, quando encontraram a cura e fomos autorizados a sair, todos nós preferimos o mundo que encontramos em vez daquele que havíamos deixado para trás. Antigos hábitos se extinguiram e abriram caminho para os novos.
E finalmente as pessoas passaram a dar valor as coisas que realmente valem a pena na vida .
O amor e bondade humana prevaleceram até se transformar no mundo que você vê hoje .
Esse foi o resultado da pandemia que começou em dezembro de 2019 por um vírus ... CORONAVIRUS.
A Covid 19 fez com que a humanidade toda adoecesse para melhorar a Terra !

 

 

 

 




Poema publicado ni livro"Contos Livres" - Edição Especial - Agosto de 2020

Visitei a Antologia on line da CBJE e estou recomendando a você.
Anote camarabrasileira.com.br/contoslivres2020-008.html e recomende os amigos