Zilah da Silva Borga
Ponte Nova / MG

 

 

Orquídea

 

 

Quando então desbota o viço
Que ela quase não mais exibe
Por conta do excesso de tempo
E lhe restam apenas histórias
Em forma de retalhos gravados
Nos grisalhos
Nas rugas insistentes
Na visão embaçada...

Quanto então só isso ela pode exibir
De forma nada indiscreta...
Resta-lhe a amiga que floresce imponente
dependurada no alpendre.

 

 

 




Poema publicado no livro "É tempo de Amr".
Edição 2021 - Junho de 2021

Visitei a Antologia on line da CBJE e estou recomendando a você.
Anote camarabrasileira.com.br/eta21-005.html e recomende aos amigos