Paloma Morgado Mendonça
Belém / PA

 

 

No estalar do segundo

 

A vida é uma arrepio,
Um sopro, um vento lento!

Ela escorre pelos dedos,
De uma forma única, 
Ininterruptamente!

Uns vão cedo, aos atropelos, 
Outros aproveitam o tempo!

Ela chega de mansinho ,
E se vai bruscamente , 
No estalar do segundo!

Pois que existe data pra viver ,
E data pra morrer, 
E a bênção da amnésia terrena!

E a vida segue a rotina,
Cada um no seu ofício, 
Dentro de cada quadrado,
A seres por todos os lados !

 

 

 

 
 
Poema publicado no livro "Versos cinzas"- Edição 2019 - Dezembro de 2019