Lucia Celeste V. Barbetta
Rio de Janeiro / RJ

 

Amanhece

 

Vento fininho sopra lá fora,
Seu assovio trazendo a aurora.

Um sol bem forte brilha e aquece,
Ouço que vozes cantam modinhas,
Dando mil graças ao novo dia,
Que engrandece tudo em volta quando amanhece.

Nos arvoredos, nos matagais,
O vento segue soprando mais.
E a molecada se divertindo
Dança aquecida pelo sol bem vindo.

E o dia segue, soando mais.
Mais de mil vozes nos matagais.
Bichos e anjos, pássaros mil,
Dizem bom dia ao meu Brasil!

 

 

 

 

 

 
 
Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros - vol. 159 - Abril de 2018