Zulmar Tamburu
São Paulo / PR

 

 

Vestir a alma

 

Quero vestir a alma com o mais puro afeto
E limpar a bagunça do coração
Quero revelar um termo em vocabulário simples
Pelo o qual devo redigir
E que não me moldem com palavras
Pelas qual não tenho coragem de expor
Porque sinto o sangue pulsar com pura comoção
E com esta vasta extensão
Vou sondar o que meu ser tem a dizer
Quero ser sábia para desfrutar das
Mais belas formas de expressão
E um belo texto elaborar
Com o coração liberto poder voar
Viverei livre para amar
Entre o céu e o mar
As estrelas e o luar
Em um ponto qualquer estarei
E um vale de trevas não temerei
Porque em mim escolhi o mais forte sentimento: o amor
E no refúgio de minh'alma
Encontrarei a luz e as sábias palavras
Para que possa viver
Sem ter medo de morrer.

 

 

 

 
 
Poema publicado no livro "Grandes Nomes da Poesia Brasileira" - Junho de 2018