Helena Maria S. Matos Ferreira
Guapimirim / RJ

 

Entrelaçados

 

Que estranha sintonia
Não falas, sequer me olhas
Mas estamos unidos,  entrelaçados
Talvez confundidos, confusos.
É preciso desentrelaçar
É o momento de singrar outros mares
Encontrar um Norte
Subir a montanha
Desbravar outras trilhas
Seguir um cometa, uma estrela;
Tornar - se uma bem bonita e brilhante.
No entanto é preciso coragem
Para aceitar e desvendar o mistério
Que nos envolve durante a vida e  depois da morte.

 

 

 

 

 
 
Poema publicado no livro "Versos nossos que vencem as Severinas" - Março de 2018